sábado, 26 de julho de 2008

George e Jorge

Conheci George na pista de dança. Ele era lindo dançando e como também gosto de uma boa música foi fácil chegar até ele. Tínhamos uma boa química juntos e ficamos ate o fim da festa.

Jorge estuda na mesma faculdade que eu. Temos amigos em comum e já observava ele nas reuniões nos bares de sexta a noite com a galera. Num daqueles dias no fim de período e com bastante álcool na cabeça, o beijei no meio do bar, para delírio das pessoas a mesa e horror dos outros freqüentadores.

Ambos só possuíam em comum a pronuncia do nome e terem o número do meu celular.

Antes que levante a pedra pra jogar no cafajeste enrolador de pobres moços, digo que em nenhum momento enganei os dois: ‘se não estamos em um compromisso, não me peça fidelidade’, disse.

Mas certas coisas, por mais que sejam ditas mais de uma vez não necessariamente são compreendidas.

Depois de certo tempo, Jorge começou a demonstrar um ciúme patológico/doentio e George começou a esnobar achando que não queria mais nada com ele. Enquanto eu estava ocupdo com trabalhos e contas atrazadas.

Honestamente, minha cabeça e meu coração andam numa montanha russa tão grande que escolher se torna algo difícil, além de angustiante. Mesmo assim, ate então problema não havia já que ninguém se dispunha a dar o primeiro passo.

Ate então...

Tudo começou na semana passada, durante um aniversario de um amigo da faculdade. Antes de o bolo chegar, um garoto aleatório coloca na mesa um flyer de um evento que ia acontecer no próximo final de semana onde teria uma sessão noturna de filmes alternativos gays com uma super festa em seguida. O programa tem tudo o que eu mais gosto: cinema, festas e gays. Então, me animei muito a ir. Então Jorge diz: ‘Claro, querido, a gente marca como vamos’... Foi ai que percebi que deveria ter contido um pouco minha animação, já que não queria passar uma noite inteira sendo chamado de ‘o namorado do Jorge’ por todos. Mas o dano estava feito e o encontro, marcado. Não seria ruim afinal...

A semana passou e a expectativa do evento aumentou. Ate a complicação chegar. Há vinte minutos, meu celular toca. ‘George chamando’. Atendi bem como sempre o fiz. Então George diz: ‘Hey, ouvi falar de um evento legal que vai ter no centro da cidade com filmes alternativos e festinha e queria muito ir com você...’. É claro que no momento eu fiquei nervoso e não soube o que dizer e acabei assentindo que ia com ele.

a atração principal acontece antes do filme começar...

E enquanto me visto e escrevo visualizo os dois na fila me esperando e penso na enrascada que me meti... Acho que vou ficar doente esta noite...

Um comentário:

  1. escolha dificil hein?

    conta depois como fica depois disso!

    bração!

    ResponderExcluir